segunda-feira, 13 de julho de 2009

E quem vai acreditar?


E correu da sala para varanda, três pulinhos bestas. Havia dias que passarinhos faziam desenhos no ar para ela, tentado tirar a sua atenção da TV. Mas agora que precisava, nenhum apareceu para distraí-la.

Olhos marejados e nariz fungando daquela gripe mal curada.

Queria colocar a culpa nele e dizer que tudo desaba quando ele está longe, mas sabia que não podia...


Ela simplesmente não conseguia se manter em suas aparências por muito tempo e agora que passava o dia em casa isso ficava cada vez mais claro para os transeuntes.

Precisava desesperadamente sair, ver a vida, acreditar em suas máscaras para depois voltar a - utopicamente - vesti-la e solucionar os problemas da humanidade.

3 comentários:

Yaas disse...

sei bem como é isso :x

Yaas disse...

hm. nunca tinha pensado de como a gente espera que a ultima semana seja a mais feliz. as vezes parece que ficamos a vida inteira esperando o fim, pra dai começar a viver :x
beeeijos :*

Vinícius disse...

Sério, não sei o que dizer.

Só me resta ser repetitivo: tá lindo, o texto.

=*