domingo, 21 de dezembro de 2008

Finalmente um "off the table".

Te olhar ainda me fez pensar.
Sorrir de canto.
Balançar a cabeça.
Dizer que não. Dessa vez com certeza.
Mas o que seria...

Se eu não tivesse fugido?
Se eu não tivesse partido?
Ou se eu tivesse voltado (a tempo)?

Fica na tua, me deixa aqui pensando.
Mas me sinto segura, pela primeira vez.

Posso dizer: Não quero mais, nunca mais.
Como quem olha pra uma garrafa de coca-cola gelada, suada.
E pensa como fica melhor sem aquilo.

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008


Estranho, mas já me sinto como um velho amigo seu...

[Nando Reis]



Feitas as alterações para o gênero feminino, é isso aí.

Fofocas, risos bestas, piadas internas, jogos, filmes, festas, projetos de viagens, shopping, danças, msn, sorvete, "paqueras", unhas, orkut, orkut falso, blogs, projetos de blogs, shows, velas.

Amizade inclui tudo isso e um monte de coisas mais.
Essas 'coisas mais' vem chegando a cada dia, cumplicidade e sintonia cada vez maiores.



Isso aqui também não acaba mais, é vermelho vivo.

=*

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Presente de Papai Noel.


Dezembro.

Começou bem, veio uma chuva, um pé d'água mesmo pra mostrar que essa claridade ofuscante, que esse calor enervante vão ter fim logo, logo.

Veio com uma manhã nublada, quase que fria... me fazendo pensar em friozinho, preguiça, em não ter nada pra fazer, me fez pensar em ficar juntinho, sem pressa de ir embora.


Veio com uma esperança de natal feliz (pela primeira vez nos últimos 5 anos), um natal sem hipocrisia, sem falsos sorrisos. Um natal em família, de família e para família, a miiiinha família.


Veio com uma promessa de coisas novas e frescas, coisas leves e simples, coisas belas... Com uma promessa de ir passear à tarde, de tomar sorvete, de olhar lojas de decoração, de comprar presentinhos de natal, de fazer amigo oculto.

Trouxe uma vontade de ficar em casa, de assistir filmes e mais filmes, de fazer listas e mais listas, de ler livros e mais livros, de jogar imagem & ação, de conversar e passar o tempo junto de quem a gente quer bem.


Deu pra sentir o gostinho de 2009, essa chuva veio pra me dizer "calma, 'tá quase lá".

E está mesmo, esse clima me entra pelos pulmões com toda força e violência que deve, me dando força, esperança que o próximo ano vai ser ainda melhor.

Por que se eu bem me lembro 2008 superou minhas expectativas. E olha que elas nunca foram baixas ou poucas ou simples ou baratas.


Meu pedido pra Papai Noel é só que esse clima continue pra sempre... dentro de mim.

domingo, 23 de novembro de 2008

'Tava aqui imaginado... sem dormir.

Há momentos que são inexplicáveis, há histórias que são inacreditáveis e há amores, que independente de qualquer coisa, são pra vida toda. (Luis Correia - 05:57 am) - Foto e frase de Caroline Riedel, pessoa que admiro demais.

Bom dia, Dia!
Vento, pijamas, preguiça que vai saindo do corpo aos pouqinhos.
Azul, azul, azul.

Suco de laranja, copo de leite, bolo de rolo, café e biscoito maria.
Bom dia, Dona Maria!

Toalha meio molhada, água fria, pulinhos.
Biquini quase seco, sainha de algodão.
Sundown tem cheiro de praia.


Caminhada, areia seca, conversa boa, boas risadas, riso besta.
Sol alto, forte, incendiando.
Vento que quer me levar, me desarrumar, me carregar, me fazer esquecer de tudo o que havia antes.
Mar que me chama, me grita, implora pra me absorver, dissolver meus pensamentos e me transformar em luz salgada.


Água de coco, caminhada até o farol pra ver o que há de melhor pra se ver no mundo, pra sentir que nada é motivo pra ficar cego do azul, pra se deixar beijar pela vida que só existe ali em cima.


Sol a pino.





Pôr-do-sol.
Tão doce. Suave.
Laranja, violeta, azul, amarelinho, rosa e lilás. Mais um tantinho de azul.

Cheiro de areia molhada, cheiro de sal.
Só a claridade se desfaz aos poucos, o sol já partiu para o outro lado.
Água de coco.


Vento para embaraçar os cabelos, gotinhas de oceano provocando arrepios.
Areia molhada entre os dedos e a seca chicoteando minhas pernas.


Vestidinho de algodão dançando na pele avermelhada, por cima de um biquini que nunca seca.


Lábios finos do sal o dia inteiro, olhos cansandos de tanta beleza, ouvidos desacostumados das ondas e do assobio do vento. Pele queimada que só que cheirar a sal ou hidratante.



O sol se foi levando as outras cores... ficou só o azul marinho e a luzinhas brancas.







Luz da lua.
Varanda de casa, café quentinho, ventinho querendo caber na minha rede.

Rede e pijaminha, conversa besta, riso besta. Gente, gente, gente. Conversa besta dos outros.
Ver a rua, o movimento das outras gentes que têm tanta coisa pra fazer, tudo com o prazo da eternidade.

Têm que ver o sol, tem que se brozear, tem que correr na praia, tem que tomar água de coco, tem que olhar pro azul por horas seguidas, tem que beijar na boca, tem que entrar no mar, tem que se esquentar numa fogueira, tem que cantar, tem que dançar, tem que ouvir música, tem que amar, tem que jogar baralho, tem que jogar dominó, tem que beijar uma criança.


Corre na areia com lanternas, recolhe a madeira e faz a fogueira.
Traz o vinho, o camarão, o queijo, a azeitona, traz o casaco, traz meu amor.
Deixa comigo o vento, a areia fria, deixa o fogo, deixa o barulho das ondas, deixa a luz da lua.





Mas amanhã... a gente cái no mundo, a gente vai pra rua, a gente vai pra onde o vento sussurrar que sim.

Começo de férias.
As melhores de todos os tempos.

sábado, 15 de novembro de 2008

Amigos, amigos.


Sabe quando santo bate?

Sabe quando é instantâneo?

Sabe quando é questão de cabeça, respeito, opiniões, caras, bocas, cabelos, segredos... tudo igual e diferente ao mesmo tempo?


Quando a conversa flui entre olhares, sorrisinhos de canto e gargalhadas.

Quando um abraço para o tempo.

Quando um sorriso é maior que qualquer insegurança.

Quando um elogio é suficiente para te fazer se sentir protegida.

Quando um olhar te dá o apoio que precisas.

Quando os comentários "maldosos" são captados antes de pronunciados (e aqui novas gargalhadas).

Quando uma entonação transmite mais que qualquer livro de auto-ajuda.



Daquele que faz qualquer coisa por um sorriso.

Daquele que te conhece mais do que gostarias.

Daquele que fazendo qualquer coisa ou nada é divertido.

Daquele que fala de tudo quando não tem nada pra falar.

Daquele que silencia quando transborda em sentimentos e confusões.

Daquele que não sabe mentir pra ti.

Daquele que não quer mentir pra ti.

Daquele que não tem vergonha de te pedir nada.

Daquele que pode falar em códigos contigo.

Daquele que tem o poder de mudar a tua vida.

Daquele que te ama, te cuida, te protege.





É aí, meu querido, que tens um amigo.


Dedicado àqueles sem os quais eu nada seria. Amo vocês.

segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Um beijo (ou dois).


Às vezes insegura, chorosa, medrosa...

outras confiante, poderosa, segura de mim.

Não, não é TPM.



Entre risos nervosos,

músicas que dizem tudo,

sorrisos disfarçados,

e até alguns choros abafados,


eu sinto os meus (seus) sintomas.



Só sei que eu quero aqui, pra mim, agora e pra sempre também...

mais um beijo teu.



rá que a Sorte virá num realejo, trazendo o pão da manhã, a faca e o queijo,

ou talvez um beijo teu... que me empreste alegria.

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Inútil e desastrada.

Das várias coisas que eu queria ter habilidade/capacidade para fazer:

*Entender por que as postagens ficam estranhamente diferentes do que eu queria;
*Falar baixinho como uma garotinha meiga deveria;
*Jogar boliche decentemente;
*Escrever poesia;
*Cantar;
*Ouvir pessoas chatas;
*Ouvir pacientemente as besteiras que as pessoas falam;
*Guardar papéis que vou precisar e jogar fora o que não vou;
*Fazer dieta; *Parar com refrigerantes;
*Jogar rock band e coisas do gênero;
*Tocar qualquer instrumento;
*Me divertir fazendo coisas que eu não sei fazer;
*Jogar basquete;
*Estudar disciplinadamente;
*Usar agenda;
*Usar programas legais no pc, tipo, corel, photoshop...;
*Sites na internet;
*Começar as frases com letra maiúscula no msn;
*Lembrar de lavar meus óculos antes de sair;
*Usar óculos de sol;
*Fazer meus irmãos calarem a boca;
*Nunca esquecer do protetor solar;
*Cozinhar;
*Ter a letra bonitinha;
*Ser capaz de varrer a casa e lavar a louça sem quebrar nada;
*Vadiar só 30 min por dia na internet;
*Parar de reclamar das dores no corpo após fazer esportes;
*Organizar meu caderno/fichário;
*Manter meu guarda-roupa organizado na prática;
*Fazer as tarefinhas do francês em dia;
*Entender músicas em inglês;
*Academia;
*Explicar as coisas para o meu pai;
*Dividir meu tempo matematicamente entre o que eu quero e o que eu tenho que fazer.


E, não, eu não desisti tão fácil assim.
Para ser sincera, ainda tenho esperanças.

terça-feira, 21 de outubro de 2008

Do que sinto.


Boboca assumida, como nunca antes.

domingo, 12 de outubro de 2008

Fuga.

Se quer correr, corra!
Pára de ameaçar ir embora, se quer ir...
Vai.

Mas...
Não vá dizer que eu te deixei.
Não vá dizer que eu desiti, nem que te abandonei ao tempo que nos consome.
Não me diga que eu fingia, nem que te enganei com meu sorriso.
Eu sempre fui sincera!
Pára de correr e olha pra mim.
Olha pra trás, presta atenção e agora, principalmente, olha pra frente!
Vê só pra onde você está indo.
Me escuta, não, não, não... se escuta! O que você está dizendo? Se contradiz a cada minuto...
Cala a boca.
Pensa.
Mas pensa mesmo.

Faça o que quiser, mas te digo uma coisa:
Se alguém vier a desistir disso tudo aqui, esse alguém é você.
Eu estou aqui.
Sempre estive.
É só pedir.

Boboca.

quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Não pense.

Por que é tão difícil fazer as pessoas ouvirem?
Dá medo de machucar,
Da criatura não entender.

Não me interprete, só escute o que eu digo.
Eu não "quis dizer" o que você acha que eu "quis dizer", eu quis dizer o que eu disse.

Não me interprete,
por favor,
só me escute,
entenda o que eu digo em claro e bom português.

Não pense,
absorva a informação
e seja feliz.


amo você.

sábado, 4 de outubro de 2008

Fechada pra balanço.


Ontem me estressei profundamente com uma pessoa que eu amo muito, foi estranho. Fiz questão que ninguém percebesse, nem ele. Não sei se consegui, às vezes pensamos ser "o mistério" quando nosso verdadeiro sentimento trasborda, sai pelos poros e aparece escrito na nossa testa. Mas acho que fui discreta.


Comecei pensando cá comigo:



Esta pessoa é muito intransigente,


quer tudo do seu jeito,


só porque é bom no que faz e sabe disso.


Daí... ninguém mais pode estar certo?


Ainda fica com essa cara de


"ah, não me importo de estar com a razão, só quero que você entenda, meu bem".


Ai que saco!


As pessoas estão certas...


meu bem é uma pessoa muuuuuito metida, auto-suficiente, acredita-se melhor mesmo...



Me sentei quieta na minha, com minha voz rouca, meus pensamentos voando, minha tpm explodindo, minha ironia visível e fiquei olhando pra cara daquela pessoa.



Olhei bem nos olhos dele e vi minha injustiça com aqueles olhos felizes, com aquele sorriso constante e tão sincero.

Aqueles olhos que sempre, meu Deus, seeeeeempre estão certos.


Eu realmente estava errada, ele só queria que eu entendesse de verdade, ele não era intransigente, eu é que era intolerante.

Sei que não é fácil conviver comigo e, às vezes, vejo defeitos nas pessoas que amo e, por não saber lidar com eles, acabo exagerando.


É tão raro alguém que suporte minhas loucuras, minhas contradições, meu orgulho, meu ar de independente e auto-sufuciente, suporte minha cara de metida e meu ar de dona da verdade. Alguém que mesmo sabendo que eu sou chata, está do meu lado pra tudo; que briga comigo quando eu faço besteira, alguém que me ajuda incondicionalmente, alguém que me ama e faz questão de demonstrar isso em cada gesto, em cada fala, em cada mensagem ou telefonema.


Daí... eu vi o quanto eu preciso mudar e o quanto eu me acomodei com o lugar em que estou. Daqui pra frente: Fechada pra balanço e arrumando as malas pro futuro.

É isso aí.

terça-feira, 30 de setembro de 2008

Sorte.


Assim... muita sorte.



São jogos de azar?

São as três Moiras ou Parcas brincando com o fio da vida?

É a Roda da Fortuna?

Ganhar no "zerinhoum",
Tirar o papelzinho melhor no trabalho da escola,
Ficar com o maior pedaço do bombom,
Dente de alho,
Achar trevo de quatro folhas,
Figa no chaveiro,
Ferradura,
Pé de coelho,
Periquito de realejo,
Bilhete premiado,
Palito de picolé "vale um frutare",
Baralho de cigana,
Olho grego na pulseira,
Vale-brinde do cheetos,
Estrela cadente,
Talismã,
Dedo cruzado,
Patuá no pescoço,
Folha de louro na carteira,
Fitinha do bonfim no braço,
Anjinho na penteadeira,
Biscoitinho do china in box,
Moedinha de 1 centavo na carteira,
Florzinha pra fazer bem-me-quer e mal-me-quer,


Sorte mesmo é bem-me-quer contigo.


Sorte é hoje.

quarta-feira, 17 de setembro de 2008

Não é só isso.

É um frio na barriga...
São borboletas no estômago...
É um medo e uma felicidade...
É uma angústia e um alívio...
É uma ansiedade e uma confiaça (x 3).

Amar é isso.
Frio na barriga quando fala besteira.
Borboletas quando só faltam uns minutos pra se ver.
Um medo de perder.
Uma felicidade por estar Aqui.
Uma angústia pra ser tudo aquilo o que se espera.
Um alívio quando se pensa em quem temos ao lado.
Uma ansiedade por beijos e beijos.
Uma confiança em si (melhor junto), uma confiança no sentimento (lindo), uma confiança nele (aqui pra mim).

E muito mais que espero descobrir a cada dia.

Dentro do "Mundo" de Sofia.


Dois dias depois Exupèry percebeu que, mesmo que tenha andado pelo Saara, visitado planetas e outras galáxias, mesmo conhecendo o asteróide B 612 tão bem como a palma de sua mão, não compreendia o mundo de Sofia.


Por mais que já fizesse parte dele.

segunda-feira, 15 de setembro de 2008

Entender, conhecer, prever...


Sem me conhecer, como posso entrar numa conversa de Alice e Chapeleiro Maluco?

Até onde se conhece de fato a pessoa ao lado... De direito sei que conhecemos a todos que queremos (bem ou mal), é fácil ver o que se quer ver, mas é só o que se quer deixar ver? E o que se quer deixar oculto? Podemos ver assim, por uma fresta de segredos e pequenos gestos impensados?

Tarde despretensiosa no mundo de Sofia, ou no Saara de Saint-Exupèry...
Ela cética e tão complicada, ele otimista e tão claro.

(14:11) Sofia:
você não devia tentar me entender... isso pode levar a sérios danos mentais... "you can't get in here, honey..."

(14:11) Exupèry:
duvida?

(14:12) Sofia:
como assim?

(14:12) Exupèry:
duvida que eu não consigo?

(14:12) Sofia:
quem em plena consciência diria "duvido!" para um teimoso tãããão teimoso?

(14:12) Sofia:
DUVIDO

(14:12) Exupèry:
então tá.

(14:12) Exupèry:
morro de pena.

(14:13) Sofia:
(risos) morre de pena por quê?

(14:13) Exupèry:
sua dúvida é algo totalmente...

(14:13) Exupèry:
sem necessidade.

(14:13) Exupèry:
tá perdendo tempo com isso.

(14:13) Sofia:
quais são as reais chances de você me entender?

(14:14) Exupèry:
até agora, eu venho entendendo tudo.

(14:14) Sofia:
realmente é uma perda de tempo... afinal você nunca conseguiria me provar que me entendeu, sequer que me conhece, que pode prever o que eu penso ou faço. mesmo que você entendesse

(14:15) Sofia:
se entende... poderia explicar?

(14:15) Exupèry:
pra você?

(14:15) Sofia:
e é por isso que eu DUVIDO

(14:15) Vinícius:
por que eu vou explicar pra você?

(14:15) Exupèry:
¬¬

(14:15) Exupèry:
se o objeto do entendimento é você mesma?

(14:16) Exupèry:
a não ser que você nao se entenda.

(14:16) Sofia:
oras bolas... como vou saber que vc entendeu?

(14:16) Exupèry:
e precise de uma ajuda externa.

(14:16) Sofia:
vc se entende?

(14:16) Exupèry:
eu me entendo.

(14:16) Sofia:
e partimos para uma viagem no mundo do abstrato filosófico.

(14:16) Sofia:
bom saber. (que ele se entende...)

domingo, 7 de setembro de 2008

Ainda não vejo mudanças.


O menino
puxando o rabo-de-cavalo
da menina
no meio da balada
plena 3:00 da manhã
-repetidas vezes-
significa a mesma coisa
que significava na 4ª série???
E se ela sair correndo atrás dele depois?
dando tapas nas costas...
depois voltar pra mesa bufando
e dizer pras amigas:
"Eu odeio aquele menino!!!"

sábado, 6 de setembro de 2008

Huuuuum...


Me sujando com sorvete.
Ganhando pelúcia de presente.
Lambendo bacia do bolo de chocolate.
Bolo de chocolate!
Brigando por causa do Bambi e do Dumbo.
Assistindo a desenho animado.





Meu Deus... desde 199[?] fazendo as mesmas coisas.

Nada muda, é só ilusão.









domingo, 31 de agosto de 2008

Sinceridade.


O que falar, quando falar, como falar, mas... enfim... por que falar?

Tem que falar, dizer e contar, sem isso de guardar, sempre...
Mas... é tão difícil.

terça-feira, 26 de agosto de 2008

Aqui.


Ando me perguntando como cheguei aqui.
Como minha estrada torta virou a de tijolos amarelos?
Não sei. Nem tenho porquê querer descobrir.

Sei que é Aqui...
Onde meu pessimismo esbarra e fica pra trás.
Onde as minhas saudades se tornam beijos.
Onde minhas besteiras se vestem de risos e sorrisos.

Aqui, eu vejo Algo e me encontro.
Se não encontro, só desejo.
E no meu desejo, nem eu me entendo.

E é por não me entender sozinha, por não me encontrar longe d'Aqui, que eu fico.
Fico no brilho do que vejo e no silêncio do que desejo.
Sei que é Aqui que eu quero ficar.


Fica também?

segunda-feira, 18 de agosto de 2008

Sei que sou pessimista.
Mas agora estou olhando o lado tão bom que tem cada momento, ou cada momento que tem ao lado um bom alguém.
Digamos que meu passado vem caindo em desgraça, sabe quando tudo passa e você lembra como um filme perfeitinho? Sabe quando você lembra dos bons momentos como perfeitos e dos maus como engraçados? Quando as pessoas acertam e erram previsivelmente e você conhece os defeitos e virtudes de cada amigo? Sabe quando você põe a mão no fogo por alguém que te parecia imaculado naquela determinada situação?
"Ele pode ter todos os defeitos do mundo, mas isso eu sei que ele nunca faria comigo, com ninguém, muito menos comigo."
E é exatamente esse maldito isso que a pessoa faz.
Sou escaldada com isso, mas, puxa! O ser humano não foi feito pra ficar remoendo os erros alheios e deixar de confiar nos outros pra sempre...
Desabou tudo de vez, mas... sei que vou ficar bem, obrigada mesmo. Obrigada por estar aqui pra mim.
Sempre que tudo cai na minha cara, que eu pago a minha língua e o nível de água salgada no corpo parece atingir níveis alarmantes, ao mesmo tempo me aparece um motivo pra acreditar na humanidade.
Pode ser que isso tudo tenha jeito.

quinta-feira, 14 de agosto de 2008

O que ser?

Começo esse texto sem saber se ele vai poder ser postado de fato.
Me sinto embriagada por 'isso' que anda batendo forte no peito, me sinto confusa demais, pra ser sincera, estou tremendamente assustada com a intensidade disso tudo. Mais que isso, tenho medo de me deixar levar, tenho medo de ser espontânea e... não sei, tenho até vergonha de abrir esta porta em mim.
Tenho medo de descobrir o que eu já sei que existe dentro de mim. Tô com medo de encontrar esse sentimento por acaso nas ruas da alma e reconhecê-lo das figuras em livros.
Mas eu me prometi ser corajosa e seguir em frente, ser sincera e cair de cabeça, tem sido tão maravilhoso até agora, por que eu ainda me pergunto?
Mais confiante agora... tudo valerá a pena, eu sei que sim.

domingo, 10 de agosto de 2008

Quase.

Ainda pior que a convicção do não e a incerteza do talvez é a desilusão de um "quase". É o quase que me incomoda, que me entristece, que me mata trazendo tudo que poderia ter sido e não foi. Quem quase ganhou ainda joga, quem quase passou ainda estuda, quem quase morreu está vivo, quem quase amou não amou. Basta pensar nas oportunidades que escaparam pelos dedos, nas chances que se perdem por medo, nas idéias que nunca sairão do papel por essa maldita mania de viver no outono.
Pergunto-me, às vezes, o que nos leva a escolher uma vida morna; ou melhor não me pergunto, contesto. A resposta eu sei de cór, está estampada na distância e frieza dos sorrisos, na frouxidão dos abraços, na indiferença dos "Bom dia", quase que sussurrados. Sobra covardia e falta coragem até pra ser feliz. A paixão queima, o amor enlouquece, o desejo trai. Talvez esses fossem bons motivos para decidir entre a alegria e a dor, sentir o nada, mas não são. Se a virtude estivesse mesmo no meio termo, o mar não teria ondas, os dias seriam nublados e o arco-íris em tons de cinza. O nada não ilumina, não inspira, não aflige nem acalma, apenas amplia o vazio que cada um traz dentro de si. Não é que fé mova montanhas, nem que todas as estrelas estejam ao alcance, para as coisas que não podem ser mudadas resta-nos somente paciência, porém preferir a derrota prévia à dúvida da vitória é desperdiçar a oportunidade de merecer. Pros erros há perdão; pros fracassos, chance; pros amores impossíveis, tempo. De nada adianta cercar um coração vazio ou economizar alma. Um romance cujo fim é instantâneo ou indolor não é romance.
Não deixe que a saudade sufoque, que a rotina acomode, que o medo impeça de tentar. Desconfie do destino e acredite em você. Gaste mais horas realizando que sonhando, fazendo que planejando, vivendo que esperando porque, embora quem quase morre esteja vivo, quem quase vive já morreu.
(Autoria atribuída a Luís Fernando Veríssimo, mas que ele mesmo diz ser de Sarah Westphal Batista da Silva)
Ouvi a primeira vez esse texto num dvd de Ana Carolina (e quem pode ficar surpreso?!), achei muito lindo e mais importante uma verdade bem interessante de ser discutida.
Detalhe para a entonação que ela dá ao texto durante a leitura... perfeita... ^^
Será mesmo melhor ser mais ou menos? mediano? classe média? irmão do meio? será mesmo melhor ser normal?
Já escrevi um texto "baseada" nesse aqui, minhas impressões sobre o assunto. Tá por aí.
Sol brilhando (leia-se :queimando) e caminhada na praia, ou raios e tempestades com f.r.i.e.n.d.s e brigadeiro me parecem bem melhor que domingo assistindo faustão e comendo feijão com arroz.
P.S.: não é bem auto-ajuda, mas é bem reflexivo... ser intenso ou não?

sábado, 2 de agosto de 2008


E foi assim, com esse sol e esse vento, nessa tarde vazia com um 'quê" de inacreditável, que eu te olhei e vi mais do que eu esperava, o teu sorriso, vi tanta sinceridade e tanta felicidade em me ver e poder me dizer tudo o que eu queria saber sem abrir a boca.

Simplesmente... bom saber.
Simplesmente... fica aqui, tá?

sexta-feira, 1 de agosto de 2008

Crise de 30.

ELE.

ATRASADO?!?! Desespero! "Merda!" Relógio - 9:30 - Domingo, alívio, vazio, teto, teto, teto, lençol, chinelos.

Cozinha, geladeira, iogurte.

Sala, televisão, controle, zap, zap, zap, esportes, zap, zap, carros.

Relógio - 10:13 - telefone, zap, zap, zap.

Cozinha, armário, biscoito, sala, televisão, zap, zap, zap...

Telefone [tocando]:

"Oi, hum... Diga, mainha... não, não... tem comida aqui em casa, sim. Eu sei que a minha irmãzinha querida do coração vai almoçar com a senhora hoje e... não, não. Vou ficar em casa mesmo, pois é, eu tenho... eh... um... um relatório pra segunda, pois é. Próximo domingo prometo que vou."

Telefone [batendo].

Relógio - 12:30 - cozinha, geladeira... cerveja.

Varanda, mar, mar escuro, mar de ressaca, calçadão, nuvens, carros, gente... notebook, internet, messenger (entrar offline), "Ninguém que preste...", hotmail, 5 novos e-mails, submarino on line, sistema push, vestcon... "nada de útil também..."

Orkut, relógio - 12:48 - fake, "Sarah...Bastos"...

[...]

Telefone, relógio - 13:05 - telefone... "Que será que ela anda fazendo... parece feliz, parece tão... quem esse velho na página de recados???"

"Merda!"

Telefone, celular, telefone... 3,4,6,5,7,8,3,9... "Alô? Queria pedir uma pizza de carne de sol com borda e uma coca-cola de seiscentos... aqui pro Maria Amélia em Boa Viagem... é... perto do Acaiaca, sétimo andar, Eduardo Dinniz. Valeu, eh... quanto é mesmo? Tá, Brigado..."

Quarto, banheiro, samba-canção, frio, box, chuveiro, torneira, água, frio, sabonete, água, pingos.

Barulho, "chamar o encanador amanhã!".

Toalha, espelho.

Guarda-roupa, gaveta, cueca, bermuda.

Som, botões, play, Zeca Baleiro...Quando nasci veio um anjo safado, o chato do querubim e decretou que eu estava predestinado a ser errado assim, já de saída a minha estrada entortou, mas vou até o fim...

Interfone, cozinha, "Alô? Diga, Seu Rodrigues, é... é pra cá sim, pode deixar subir..."

Quarto, carteira... campainha, relógio - 13:37 -, cozinha, porta, chave, fechadura, "Valeu, fera, t'aqui ó... pega o troco pra tu.."

Caixa, hum...


ELA.

Despertador, 4:30, "caceeeeete!", sono, dormência, hum...

Manta, travesseiros, sonhos [...]

Telefone[tocando]... Relógio - 10:24 - "Alô? Oi... não, não já tava acordada... diz... hum rum... pode ser... quem mais vai? Aaaaah, eu até vou, se tu me prometeres parar com essa história feia de me jogar pra cima de Augusto. Hum... é... ele é bonitinho sim, tá, tá... ele é um gato, lindo e gostoso, como queira... mas não vale naaada e tu sabes! Hum rum... tá, tá, vamos parar com esse assunto que tu sabes que eu detesto quando tu usas meus "ex-casinhos" pra me jogar em outros e mais outros carinhas... hum... tá bom, eu vou. Xero!"

Teto, teto, teto... chinelos. Banheiro, água, rosto, sabonete, rosto, água, água, água.

Escova de dentes, creme dental, pia, água, espelho, cabelos, bocejo...

quarto, janela, cinza, cinza, "Ah, cidade infeliz..."

Anel, banheiro, camisola, calcinha, box, chuveiro, torneira, pezinho, pezinho, frio, pulinhos, água, arrepio, cabelo, xampu, água, condicionador, calcinha, sabão, água, sabonete, água, água, água, " O que diabos a Chris quer me jogando em cima do Augusto?"

Toalha, espelho, cabelo, pente, desodorante, calcinha.

Relógio - 11:04 - anel, guarda-roupa, "vestidinho?", sutiã, vestido.

Banheiro, escova, cabelos.

Cozinha, geladeira, maçã.
Sala, notebook, internet, anel, messenger, orkut, "aiai... ele bem que podia ter orkut", desconectar.
Quarto, relógio - 12:03 - banheiro, maquiagem, base, pó, "Meu Deus, que olheiras!!!",sombra, blush, rímel... "Pronto".
Perfume, sandália, bolsa, chaves, celular, anel.
Porta, chaves, fechadura.
"Não acredito que vou pra uma feijoada pra ficar na mesma mesa que o Agusto, não mereeeeeeço! Humpf!"
Elevador...

sábado, 12 de julho de 2008

Será???

Dessa vez vou fazer tudo ao contrário! Vou cair de cabeça, me entregar de corpo e alma, esquecer do resto do mundo, viveeeeeer como se fosse a última pessoa no mundo!
Quero me sentir mais viva, quero deixa minha redoma, quero seguir caminhando descalça, ter meus planos é bom, mas preciso abrir um espaço pra o imprevisto, é tão bom ter uma surpresa! A vida me pregou uma peça, não imaginei mesmo e prefiro assim, bombástico! Vou viver (ao menos uma vez!) cheia de expectativas, vou correr atrás, vou ligar, vou pedir, vou implorar por um beijo, vou acordar e dormir pensando, mais importante: vou falar o que eu sinto, mesmo que eu esteja confusa, vou perder meu medo, vou me deixar levar e seguir junto, afinal, sozinha... não saio do canto.

ESPERANÇOSA. ^^

domingo, 22 de junho de 2008

Solilóquio

Meu auditório individual, minhas discussões de foro íntimo.
Quando não dá tempo de postar por aqui ou o assunto é censurado pelas críticas acabo escrevendo em papel mesmo. Costumo escrever uns diálogos comigo mesma, sei... é estranho.
Digamos que ajuda a colocar as idéias no lugar, os prós e os contras, ver as posições de todos os envolvidos, analisar uma situação por todos os ângulos possíveis.
Não me perguntem como, sei que isso pode parecer incomum, mas realmente todas as "Camilas" dentro de mim conseguem se expressar sobre determinada situação, é uma forma democrática de resolver as crises internas. Em momentos tensos de iminente revolução eu conovoco reuniões na Ágora do meu peito e todas têm o direito de falar o que pensam...
Costuma funcionar.


Queria escrever um texto inspirado, mas mu vizinho faz um arraial neste momento e acabo divagando... ¬¬

acontece nas melhores famílias.

sexta-feira, 16 de maio de 2008

Se o sol não queimasse... você seria mais feliz?


Se o mar não tivesse ondas, se o arco-íris fosse em tons de cinza, se os dias fossem nublados, se a noite não tivesse estrelas, se o clima fosse sempre morno, se os sorrisos fossem sempre amarelos, se os gritos fossem baixos, se a água fosse sempre quentinha, se os carros sempre andassem a 60km/h, se os apaixonados não errassem, se os amigos não vacilassem, se o sol não queimasse, se os travesseiros não tivessem cheiro, se os choros fossem sem soluços, se as canetas fossem sempre pretas, se as músicas fossem sempre melodiosas, se não houvesse raiva, paixão, loucura, êxtase, desespero...E se a vida não tivesse surpresas, encontros e desencontros, encantos e desencantos... se a vida fosse um filme que já se viu, você seria mais feliz?


Queria fazer meu manual de instruções para que as pessoas que eu amo parassem de me magoar e decepcionar.

sábado, 3 de maio de 2008

Faça-me um favor...

Pára de tentar me convencer que você é importante, pára de contar pros outros que eu te odeio, pára de comemorar quando eu me exalto, pára de me tentar me atingir... isso é ridículo!
Eu me exalto, eu me empolgo, eu pego ar, eu levo à sério, eu não sei ser falsa assim, eu odeio quem não sabe brincar, eu odeio regras frágeis, odeio falta de pulso, odeio! Eu sou infantil, mas eu sou uma criança assumidamente... então, decida: queres ser uma criança madura e esperta, ou um adulto infantil e bobo?
Eu não sou falsa quando te dou bom dia! Eu não te odeio, deixa de picuinha e vai ser feliz, viver a tua vida... nós ainda temos muito tempo pela frente, eu não pretendo desistir... então, o que te faz feliz? Não acredito que buscando me atingir tu és mais feliz... até porque, meu bem, tu pensas que eu te odeio, mas não... eu posso até desgostar e desprezar tuas atitudes e até mesmo tuas idéias, mas não há ser humano na Terra que mereça meu ódio.

Ah, por favor, não me confunda com você! Os erros que você vê em mim nada são além daquilo que tu és e não queres admitir, fruto das tuas frustrações, erros, decepções... da tua vergonha!
Sou assim, e pronto, pode ser que eu mude, mas, creia-me... não vai ser porque tu me constrangeste.

Pra quê perder teu tempo comigo se não me amas e eu não vou te ar o troco? Não vou te responder, podes atirar as tuas pedras, não serei eu a quebrar teu teto de vidro. Qual é a graça de odiar quem não te odeia?

segunda-feira, 21 de abril de 2008

Crise de 30.

ELE.
Madrugada? relógio - 5:45 - segunda-feira, desapontamento, lençol, chinelos.
Espelho, barba, olheiras.
Samba-canção,frio, box, chuveiro, torneira, água, frio, sabonete, água, pingos.
Barulho, "chamar o encanador essa semana".
Toalha, cabelo.
Espelho, relógio - 6:00 - barba, gilette, espuma, gilette, "Ai!", sangue, "merda", água, espelho, desodorante.
Escova, creme dental, espelho, olheiras, relógio - 6:06 - "merda".
Guarda-roupa, gaveta, cueca, meia, cabide, calça, sapato, cinto, relógio - 6:17 - "humpf".
Cozinha, geladeira, leite, relógio - 6:21.
Sala, porta, chave, fechadura, jornal, mesa, chave, relógio - ... - telefone, relógio - 6:23 - telefone, telefone, janela, mar, carros, calçadão, gente.
Cansaço, dor de cabeça, neosaldina, copo, água, neosaldina, pia, relógio - 6:27 - "merda".
Quarto, camisa, botões, gravata, espelho, olheiras, perfume, gravata.
Chave, carteira, pasta, jornal, celular, chave, porta, chave, relógio - 6:36.
Elevador, "Bom dia... (essa mulher devia emagrecer) frio hoje, não?".
Chave, alarme, carro, relógio - 6:42 - "merda".
Rua, sol, nuvens, chuvinha, relógio - 6:50 - celular, relógio - 6:51 - trânsito.
Dor de cabeça, carros, carros, carros, buzina, "merda", farol, amarelo, vermelho, trânsito, "será acidente?".
Relógio - 6:54 - "merda", celular, bolso, carteira, fotografia.
Buzina, farol, verde, carros, relógio - 6:55 - carros.
Celular. 0,4,1,1,1,9,4,2, - apagar - "humpf".
Relógio - 6:58 - engarrafamento.
Relógio - 7:10 - dor de cabeça.
Relógio - 7:15 - "merda".
Relógio - 7:17 - "será muito cedo?".
Relógio - ... - celular, celular, celular.
Fotografia, dor de cabeça, janela, "tenho trocado não, meu filho..."
Celular...
Estacionamento, pasta, celular, fotografia...carteira, bolso, jornal, chave, porta, alarme.
Relógio - 7:30 - "merda".
ELA.
Despertador - 4:30 - travesseiro, "fazer o quê hoje?".
Edredom, pantufas, óculos, cabelo, trança.
Banheiro, espelho, rugas (meu Deus!), água, sabonete líquido, água, toalha, anel.
Camisola, calcinha, box, chuveiro, torneira, pezinho, pezinho, frio, pulinhos, água, arrepio, cabelo, xampu, água, condicionador, calcinha, sabão, água, sabonete, água, água, água. " será que ele liga?".
Toalha, espelho, cabelo, pente, desodorante, calcinha.
Guarda-roupa, relógio - 4:54 - sutiã, saia, salto, camisa, botões, espelho, bumbum, anel.
Banheiro, espelho, secador, tomada, lentes de contato.
Cozinha, geladeira, iogurte natural, armário, granola, xícara, colher, "lembrar da barrinha de cereal..." relógio - 5:12 - telefone, anel, janela, neblina, carros, prédios, "que cidade suja".
Banheiro, escova, creme dental, perfume, base, corretivo, pó, blush, rímel, batom, "nada de lápis hoje".
Quarto, notebook, anel, hotmail, 1 mensagem nova, esperança, palpitação... submarino direto, pen drive 1gb, "ninguém merece isso..." relógio - 5:23.
Chaves, celular, notebook, pasta, papéis, bolsa (tá tudo aqui mesmo?), colírio, agenda, relógio - 5:43 - aiai...
Elevador, "Bom dia, (nossa, que mancha roxa é essa Dr. Henrique?), esse trânsito de Sampa ainda vai me fazer voltar pra meu Recife, tenho acordado às quatro e meia..." sorriso amarelo.
Garagem, chaves, bocejo, direção "preciso fazer as unhas", anel, agenda, celular, relógio - 5:51 - "ele bem que podia ligar...".
Angústia, rua, sol, poluição (quanto tempo eu vou aguentar essa droga de cidade?), carros, buzina, trânsito, engarrafamento, engarrafamento, engarrafamento, anel.
Relógio - 6:30.
Agenda, 27, agosto, aniversários, ninguém, celular, anel, confiança, 0,2,1,8,1,9,9,9,1,2,3 - apagar -"deixa de ser louca!" buzina.
Relógio - 6:48. aiai...
Som, música - ...Assim que quer, assim será, eu vou pra não voltar. Toma este anel, que é pra anular o céu, o sol, o mar Eu não queria ir assimTão triste, triste... - "Aaaaaaaah", botões.
Música - ...stones taught me to fly. love taught me to lie. life taught me to die. so it's not hard to fall. when you float like a cannonball. there's still a little bit of your song in my eart. there's still a little bit of your words i long to hear... - " foda-se!" botões, on/off.
Relógio - 7:03, anel.
Dor de cabeça, celular, anel, beira de lágrimas, cabelo, buzina, 7:23.
Estacionamento, anel, suspiro, pasta, bolsa, retrovisor, batom, agenda, bolsa.
Chave, alarme, relógio - 7:34.
Salto, salto, salto, salto, salto (como isso faz barulho!), "Bom dia, seu Edilson", sorriso amarelo.
Anel, bolsa... (Cacete, esqueci a barrinha!).
continua...

quarta-feira, 9 de abril de 2008

Será que o Bom Humor virá num realejO?

Feliz hoje... e nem sei porquê, é um momento raríssimo na minha vida, por mais que eu me sinta "alegre" uma grande parte do tempo, ou pelo menos tente fazer de conta pra mim mesma que estou "alegre", esse sentimento de felicidade verdadeira é realmente inusitado.
Nesse nove de abril de 2008 me sinto completa e satisfeita com a vida que eu levo. É claro que isso só acontece por que eu estou ignorando um mundo inteiro de imperfeições corriqueiras e permanentes, estou ignorando todos os problemas que eu já tive e aqueles que prevejo pra "mais cedo ou mais tarde", também estou ignorando pessoas que, na busca da felicidade delas, esmagam as minhas flores amarelas de "Bom Dia!", ignorando o planeta que pra seguir girando na órbita dele passa por cima de mim numa velocidade absurda... Eu vejo o mundo girar, mais do que isso... eu SINTO o mundo girar sob os meus pés e sobre o meu tempo.
Percebo as falhas da minha felicidade, percebo que eu não POSSO estar feliz, mas simplesmente esses "detalhes" sórdidos que gritam implorando minha atenção, buscando me irritar (como fazem todos os miseráveis dias em que acordo) não conseguem me desequilibrar hoje, meu instável equilíbrio está surpreendentemente estável hoje.
Vai saber... seja como for. Me sinto agora (relendo o que escrevi) uma verdadeira alienada, demente, alguém que não se toca, utópica e aluada.
Aiai, todos merecem um dia assim... será que alguém vai conseguir tirar minha graça e o meu sorriso sincero da face?

domingo, 30 de março de 2008

Disciplina...


É tão frustrante quando a gente se esforça pra conseguir algo e dá com os burros n'água. O pior é que ainda fica aquela sensação cretina... "talvez se eu tivesse me esforçado mais um pouquinho só..."



É sempre assim, eu nunca estou num ponto de eficácia plena, sempre num ponto de ociosidade dos recursos que tenho a disposição. Tenho tempo, livros, pc, internet, aulas, amigas cdfs... mas ainda assim não dou o meu máximo pra atingir a excelência. Como é que eu me permito fazer isso? Como eu posso tentar me enganar? Me iludir sozinha? Mentir pra mim???

Ai, que absurdo!



Agora mesmo... o que djhuabu eu to fazendo aqui se eu ainda tenho 130 páginas pra ler de filosofia pra uma prova amanhã???

Sou a pessoa mais consciente e indisciplinada que eu mesma conheço... é muita acomodação, viu?! Como pode... eu sei que eu não sei do assunto da prova, mas ainda assim não consigo passar mais do que 4 horas estudando direto... dá um tilte, um curto circuito.

Preciso de disciplina pra estudar, fazer as tarefas do francês, as redações do inglês, anotar tudo nas aulas, passar a limpo aqueles cadernos bagunçados, pra entrar na academia, pra marcar minhas milhões de consultas médicas atrasadas, pra ir no salão...





Painho devia ter me colocado num colégio militar.



=/



What do you fucking want from me???


just tired... I needed to do this.

sexta-feira, 14 de março de 2008

Eternal Sunshine Spotless Mind...


_I could die right now, Clem. I'm just... happy. I've never felt that before. I'm just exactly where I want to be...




_ This is it, Joel... It's gonna be gone soon.
_ I know.
_ What do we do?
_ Enjoy it.

quinta-feira, 6 de março de 2008

Mudança Interna...


Quando terminei de escrever esse texto aí de baixo percebi o quanto eu preciso mudar meu jeito de ver o mundo... percebi que não é o mundo que tem que parar e me esperar, sou eu que tenho que correr para alcançar o mundo...


Então... com a sinceridade e a franqueza à flor da pele:


Camis em fase de reflexão, balanço, prestação de contas, reforma e mudança!

Preguiça de existir...


Ando com uma vontade de não fazer nada... queria que o mundo parasse um dia, um dia só. cComo se eu pudesse sair do mundo e ficar olhando a vida da Terra por uma janela. Um dia que eu pudesse dormir até mais tarde, assistir um filme antigo, comer brigadeiro, entrar na internet, passar o dia pensando no nada, um dia sozinha, um dia quieta no meu canto, sem me sentir culpada por estar engordando, ou por estar "preguiçando". Esse clima frio só aumenta a minha vontade...

Tenho todo tipo de atividade diariamente, um feriado não ajuda, por que tem coisa que eu tenho que fazer que um feriado seria ideal... Seria um dia não computado na matemática do ano, um dia a mais. Um dia sem tirar xerox, sem comprar presente, sem ligar pra empresas, sem estudar, sem copiar, sem fazer listas, sem pagar contas, sem pedir dinheiro, sem arrumar o quarto, um dia sem ter que começar a academia, um dia que eu pudesse vagabundar (é, a palavra é essa mesmo) sem me sentir mal por disperdiçar um dia da minha vida!

Se eu fizesse esse dia acontecer? Não dá... tinha que ser algo que eu não pudesse me arrepender de ser tão inútil, que eu não me comparasse com tanta gente que faz mais do que eu em menos tempo e sem se estressar.

Todo dia abro minha agenda e descubro que não fiz nada do que eu tinha me proposto a fazer... e passo pra frente, nem tomo uma iniciativa, nem faço, nem delego, nem divido... só me culpo!

Cher ami, isso está me fazendo mal... vou me organizar em vez de sonhar com o impossível, vou colocar em prática o que eu me prometi fazer... eu vou, eu vou, eu sei que vou... vou parar de adiar, vou parar de inventar desculpas. Aqui escrevendo parece tudo tão fácil...

Eu vou cumprir minhas obrigações...

Eu vou... eu tô indo... Fui!

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

Saudades

Eu sou uma saudade imensa cercada de carne por todos os lados.



[Rubem Alves]



Porque eu sinto saudade de muita coisa e de muita gente, de muitos momentos e de muitos pensamentos, de muitos risos e de muitos choros, de muitos sentimentos que não voltam mais...
Na verdade sinto um aperto no peito quando lembro de algo e queria muito reviver aquilo... rever um sorriso, sentir de novo um abraço ou um beijo. A saudade de uma pessoa não é dela em si, mas dos momentos que se passaram lado a lado e da idéia de alguém presente ou próximo ou disponível.
Faz três meses que eu não falo com a minha vizinha amiga de infância e três meses que eu não falo com a minha ex-vizinha (que se mudou há três meses), também amiga de infância. Por que eu só digo que sinto saudades da segunda? Só porque eu sei que ela não vai estar lá quando eu voltar pra casa e gritar "Isabelaaaaaaaaa!" na escada... e a outra tá do meu lado (no ap do lado), e disponível pra quando eu quiser gritar... "Marianaaaaaaaaaaaa!"
Saudade é um sentimento egoísta... a falta que aquela pessoa vai fazer na minha vida... quem vai ouvir os meus problemas, quem vai rir das minhas piadas, quem vai me ensinar química, quem vai jogar bola comigo, quem vai conversar comigo até meia-noite, quem vai encapar meus livros comigo, quem vai pras festas comigo... é tudo eu... meu... minha...
Mas é a verdade... EU VOU SENTIR SAUDADES DE VOCÊ... VAI DOER EM MIM... POR ISSO NÃO QUERO QUE VOCÊ VÁ EMBORA! FICA!



terça-feira, 26 de fevereiro de 2008

Porque ela vem pro Pi Pop!

Aqui embaixo eu estava pesando em colocar a letra de uma das incríveis músicas que esta Diva canta... mas não consegui decidir qual delas... eu estou eufórica!
Ainda estou extasiada com a notícia que recebi por acaso... não tinha esperanças de isso acontecer e agora que aconteceu eu to sozinha em casa e a minha vontade é gritar, chorar, pular de tanta feelicidade, mas acho que eu vou mesmo é ouvir as trocentas músicas que eu tenho de Don'Ana Carolina quietinha ou pulando ainda nem sei, organizar os CDs, assistir os DVDs seqüencialmente, ler a biografia dela na internet, olhar as fotos, qualquer coisa e tudo que tenha relações com esta criatura perfeita!
Bom... é isso!

"Pode ir me aguardando eu tô chegando
E to com tudo pronto pra te incendiar...Teresinaaaaa"

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008

Hemisfério Norte X Hemisfério Sul


Temos que segurar nossas idéias!!!

domingo, 24 de fevereiro de 2008

...



Corra!

lá vem a tristeza atirando pra todos lados...

Ana Carolina - Vestido Estampado.

sábado, 23 de fevereiro de 2008

Cute love...

Cute love...


É... eu ainda uso o paint... uso o Corel 12, uso o photoshop, uso o picasa... mas ainda uso o paint!

Ficou um pouco de ti em mim...



Um pouco do teu gosto, aquele que impregna na pele depois de horas abraçados...
Um pouco do teu português mal falado, e mal escrito também nas cartas de forma que me mandavas...
Um pouco do teu cheiro, de perfume ou desodorante ou só do teu cheiro mesmo...
Um pouco do teu riso aberto, meio cheio de dúvidas, meio irrequieto, meio questionador...
Um pouco da tua letra de forma, aqueles garranchos na capa do meu caderno e no verso de uma única foto...
Um pouco da tua vida corrida, que dificultava nossos encontros e que disputava teu telefone comigo...
Um pouco dos teus segredos, que me destruiriam por dentro se você não me confiasse...
Um pouco da força dos teus braços que me puxavam prum beijo, em qualquer lugar a qualquer hora...
Um pouco do teu olhar de cafajeste, que me deixava toda vaidosa, toda insegura...
Um pouco da camisa rosa que eu amava, debaixo daquele terno risca de giz...
Um pouco da tua tequila, que te encorajava e me assustava tremendamente...
Um pouco do teu carro, e daquele chaveiro de prata com o meu nome gravado...
Um pouco das tuas músicas, que era só o que escutávamos juntos ou separados... (ou seriam nossas músicas?)
Um pouco do valor que me davas, aquele orgulho de me apresentar aos amigos...
Um pouco do cuidado comigo, por vezes exagerado e desnecessário, que pra mim era ciúme mesmo...
Um pouco do teu hálito de menta, sempre com um chiclete na boca e uma caixa de trident no carro...
Um pouco dos óculos descendo para a ponta do nariz, sempre que abaixava a cabeça pra ler alguma coisa...
Um pouco da tua fé inabalável, que me ajudou a seguir em frente tantas vezes...
Um pouco da tua mãe me chamando, com aquele sorriso cúmplice que me deixava morrendo de vergonha...
Um pouco do teu orgulho, que chegava quase ao ridículo contando vantagem pra me fazer raiva...
Um pouco... só um pouco... do amor que eu sentia por ti...

Tudo se foi, mas foi a decisão acertada, nada disso existia mais... eram apenas lembranças daquilo que tu já tinhas sido um dia... Gosto das lembranças, algumas delas, mas me conformo.


As pessoas mudam.

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2008

Música Boa...


Tenho uma teoria sobre "Música Boa".

Não sou especialista... longe disso, apenas alguém que curte ouvir, dançar, respirar e sentir a música no corpo como uma energia que transcende ao simples escutar... Não sei tocar instrumento algum, apesar da vontade que sinto desde pirralha.

Bom... a Teoria...


Quando alguém me perguntava "Que tipo de música você gosta?" eu sempre tinha muita dificuldade pra responder... passei anos dizendo que era "eclética". No entanto, não é bem que eu seja eclética... É o seguinte:

Todos os estilos de música podem ser bons, o que é relativo é a música e o cantor em si. Existe mpb, forró, rock, axé, pop, brega, swingueira, bolero, samba, funk, pagode e até setanejo bom. Mas também existe mpb, forró, rock, pop, axé, swingueira, sertanejo, brega, bolero, samba, funk e até pagode ruim. Depende da música em si, do conjunto melodia, letra e voz... e não do estilo.

Por exemplo, eu sempre condenei o "brega", mas cheguei a cantar "Eu vou tirar você desse lugar", música de Odair José, enquanto ouvia Los Hermanos. Condenei sertanejo, mas amo Ana Carolina cantando "Evidências" do José Augusto.

O ponto é: sensibilidade pra perceber o conjunto da música e a inteligência mínima de não generalizar as coisas todas.


Todo estilo é bom, mas tem que ser A música, A melodia, A voz, A letra, A situação... tudo tem que ser perfeito.

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008

Impressões e expressões...

É tão bom quando surge um motivo pra você acreditar de novo no mundo... tão bom encontrar alguma sanidade nesse mundo patológico, alguma lógica nesse mundo impulsivo, qualquer coisa de razão espontânea e gratuita aqui onde tudo é influência de qualquer coisa...
Claro que a influência existe, nada se faz sozinho, mas o nome disso é convivência em sociedade! Uns influenciando os outros... não ser influenciado não é uma opção. O ponto é que devemos evitar o egoísmo e dar esse crédito ao mundo. Quando o professor na faculdade te pergunta “por que você escolheu esse curso?” não há como não responder: fui influenciado pelo mundo e pela sociedade que me corrompeu pela busca de satisfação profissional ($) através do mínimo de esforço possível e, como me agrada a idéia de trabalhar nessa área, acredito que não será tão maçante e exaustivo fazer o meu papel social e ser plenamente gratificado por isso.
Respostas como: mercado de trabalho, identificação com o curso, meus pais me obrigaram, é um sonho de criança, não consegui passar pro curso que eu queria... estão todas dentro daquela, tudo isso é influência do meio em que estamos inseridos!
De qualquer forma o mundo tem se mostrado menos hostil pra mim, estava com um tempo que eu tinha a impressão que havia alguma força maior me importunando gratuitamente... mas parece que passou. Minha esperança renasceu e com ela toda aquela vontade de fazer a minha parte pra mudar o mundo e tentar convencer as criaturas pensantes a minha volta que elas deveriam fazer o mesmo. Tenho a impressão que a vida não é bem uma coisa que deveríamos tentar entender, não condeno quem o faz, até admiro essa capacidade e persistência. Acredito, por assim dizer, que Deus (ou como queiram chamar essa força que conduz o universo e criou as leis que o regem) é como um professor de matemática tentando ensinar números complexos para a humanidade... alguns tentam entender: por que alguém criaria um número que não existe com a finalidade de responder uma equação que não tem solução real? outros simplesmente aprendem como usar e aplicam aquilo nos problemas do livro de matemática... fazendo a analogia: a Vida é o livro... cheio de problemas para os quais devemos buscar soluções individualmente ou do lado daquele melhor amigo CDF (sem ofensa nenhuma, eu gosto de CDF’s, uso o termo pro falta de algo melhor...), ou até a turma toda junta dando pitaco.
De qualquer forma tenho meus próprios problemas e questões vitais, minhas próprias perguntas “insolucionáveis”, e não quero tentar entender a vida e o mundo antes de começar a tentar resolve-los... talvez ao final das minhas questões eu compreenda... o que eu não posso é perder tempo se eu sei como “aplicar a fórmula”.



Subjetivamente prática e Objetivamente filosófica.