domingo, 9 de agosto de 2009

Medo?

Porque, às vezes, a gente acorda suada, tremendo, com a boca seca e com o choro na garganta.
Sabe quando o pior que já existiu, a parte mais feia de todas volta inteirinha de uma vez num sonho?
Pois é, sonhei com o passado me persiguindo.
Sonhei que por horas a fio, as pessoas mais importantes não notavam meu terror, não entendiam minha grosseria ou simplesmente não estavam lá.
Fiquei presa, suportando uma tortura velada, sem que ninguém notasse.
Depois, sozinha com o meu medo, ele disse que ao me encontrar tinha sido educado, pelo menos. Gritei, enlouquecida, que tinha uma vida nova e pessoas que me amavam de verdade. Ele chegou perto e me disse que aquelas pessoas não me reconheciam como importante e que gostavam dele, que achavam ele divertido. Respondi com ódio queimando no peito, mas com a voz baixa e embargada: Mentira...
Suspiro, minha cama, meu travesseiro uma tremedeira, um frio.
Eu não queria mais dormir, tinha medo de voltar pro mesmo sonho. Queria ligar pra alguém, dizer que amo quem amo e dormir abraçada e protegida.
Ainda preciso daquele seu abraço.
Surgem as perguntas dos desesperados: será que eles se importam, será que me amam, será que vão estar aqui pra sempre e perceber quando eu estiver amedrontada?
Sei que a resposta pra todas as minhas perguntas é um belíssimo: Sim!
Mas ainda preciso daquele seu abraço.

2 comentários:

Yam disse...

'---------o----------'

Serve o meu?
Hã... Acho que tu sabe, mas não custa repetir: Tamo as ordi.

.S2.


=*

Vinícius disse...

Você sabe que sempre terá o meu.

Precisa nem pedir

=*